Seja Bem Vindo

Agradecemos a Deus, em primeiro lugar, por este espaço destinado a mostrar as dificuldades da comunidade Campos Sales e tantas outras de nossa capital. Ao final de cada artigo publicado, sinta-se a vontade para deixar sua opinião!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Papai Jackson pede Justiça! E declara que filho temia ser assassinado.



Após proporcionar uma infância repleta de “felicidade” ao filho e ser uma figura paterna “exemplar”, Joe Jackson, pai de Michael Jackson declarou em entrevista que o filho tinha medo de ser assassinado. As afirmações vieram à tona nesta semana, quando o médico do cantor, Conrad Murrey foi a julgamento por suspeita de ter matado Michael com doses mal administradas de anestésicos e sedativos para que ele dormisse.
A família Jackson compareceu em peso ao tribunal, em Los Angeles - Califórnia, inclusive Joe que, na ocasião, exigiu Justiça. A pergunta que fica no ar é “Será que isso é preocupação mesmo ou uma tentativa de manter-se na mídia?” Sinceramente, acreditar neste homem é uma tarefa para um santo, pois até mesmo no momento do enterro do filho se promoveu, dizendo que estava abrindo um novo negócio.
Francamente meu amigo! Querer dar uma de santo depois de tornar a vida do jovem Jackson um inferno é DEMAIS! A criação carrasca não rendeu bons frutos ao cantor, que foi chamado de pedófilo até o dia da sua morte, teve seu nome em sátiras maldosas de filmes como “Todo Mundo em Pânico” e proporcionou a fanfarra de espertalhões em processos judiciais que quase o levaram a falência. Com um pai maravilhoso desses, quem precisa de inimigos!
Agora, Joe Jackson exige justiça ($$$$$$$)! Ele não queria divulgar sua gravadora para a imprensa aproveitando-se da morte do filho, segundo alguns tablóides? Por favor, nos poupe Joe! Seria mais apropriada uma exigência de justiça feita pela mãe de Michael, Katherine Jackson que, alias, ficou com tudo, já que o cantor excluiu o “papai” e os “manos” do testamento, deixando tudo para ela e os filhos! Até a mamãe dos filhos de Michael, Debbie Rowe, de uma hora para a outra, interessou-se de cuidar das crianças, que COISA, que “coração” tem esta mulher!
Nossos mais profundos lamentos as crianças, pois ficam no meio deste tiroteio e sentindo uma profunda falta do pai, cujas obras só foram reconhecidas após a morte. Sério! As pessoas adoravam abrir a boca e chamar o cantor de “gay”, pedófilo” e por ai vai água abaixo, mas só hoje enxergam Michael como um homem humanitário, que deu milhões “de dólares durante toda sua carreira a causas beneficentes por meio da Dangerous World Tour, compactos voltados à caridade e manutenção de 39 centros de caridades, através de sua própria fundação” (Wikipédia) Como qualquer um que se preocupa, Jackson só prestou (salvo para os fãs) depois que morreu, infelizmente! Enquanto isso, Papai Joe se preocupa com a nova gravadora e claro, justiça($)!Pai assim é que “presta”!


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Elaine Paige volta atrás e pede desculpas a Susan Boyle.



Depois de falar o que não devia sobre Susan Boyle, a diva britânica do West End Londrino, Elaine Paige voltou atrás e pediu desculpas. Para quem não se recorda Elaine, que fez dueto com a escocesa no final do ano passado, “abriu o berro” e declarou para a imprensa que Boyle “é uma garota sem nenhuma experiência em nada que tenha a ver com o teatro, a música e a arte em geral” e ainda é “um vírus que se espalhou pelo mundo em um nanosegundo”. A justificativa foi que não se referia a Susan como vírus, mas simplesmente ao modo como sua fama se espalhou pelo mundo e que sempre foi admiradora de sua trajetória. Se foi dispeito, inveja ou um puro mal entendido, não sabemos! Mas o fato é que os infelizes comentários de Elaine não agradaram nenhum pouco os fãs de Boyle.
A vida é assim: “Quem fala o que quer ouve o que não quer”! Mesmo que as críticas tenham sido com as melhores intenções do mundo, Elaine errou feio e não dá para confundir suas declarações com outra coisa que não seja inveja, mesmo não sendo.
Ela não pode comparar sua experiência em musicais com Susan Boyle que tem quase um ano de exposição ao público. Claro, a escocesa canta desde os doze anos, mas profissionalmente tudo é uma novidade. Elaine tem mais de 30 anos de carreira e poderia ser mais solidária com a colega estreante dos palcos. Além disso, Boyle sofre de complicações em sua saúde mental e não teve tempo na vida de fazer teatro, dançar e sapatear. Vamos ser razoáveis Elaine!
O pior foi que Elaine “detonou” Susan pouco tempo depois de ter feito o dueto com ela, quando interpretaram a canção “I Know Him So Well”. Como alguém que canta com você no palco e declara mensagens de incentivo a sua carreira na mídia pode tecer estes tipos de comentários, posteriormente? Algo me diz que alguém vai deixar de ser ídolo de alguém! Te cuida Susan Boyle, é melhor você começar a "assobiar e chupar cana" (dito amazonense) também por que nem todo mundo está feliz com seu sucesso! Esse mundo é podre!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Susan Boyle é Vítima de Preconceito!




Depois que ganhou fama mundial após participar do programa de calouros “Britains Got Talent”, a cantora escocesa Susan Boyle, 48 anos, tem vivido um verdadeiro “sonho de cinderela”. Porém, como em todo conto de fadas, a presença da madrasta malvada ou da bruxa é constante. Como todos sabem, alguns dos meios de comunicação britânicos vem publicando matérias sobre os colapsos psicológicos da cantora e repercutindo uma imagem muito negativa sobre ela.
O The Sun, por exemplo, noticiou a crise nervosa que Susan teve no aeroporto de Heathrow, em Londres, ao começar a dançar e cantar com um esfregão da limpeza como microfone durante uma crise nervosa. Quem fica sabendo dos acontecimentos chega à seguinte conclusão sobre Susan: “- Essa mulher é doida”. Tais meios de comunicação não noticiam o que as pessoas realmente precisam saber sobre Boyle. Ela teria inalado líquido amniótico no útero de sua mãe, o que acabou lhe causando alguns danos cerebrais. Com isso, a cantora tem a saúde mental delicada.
Os ataques que Susan Boyle vem sofrendo de alguns meios de comunicação, bem como os comentários maldosos sobre sua sanidade mental tem apenas uma raiz: o preconceito. Ela esta enfrentando os mesmos dilemas que pessoas portadoras de debilidades mentais como Síndrome de Down (e que podem viver perfeitamente em sociedade, sendo pessoas capazes e dignas de respeito), outras formas de atraso mental e até depressão passam. São pessoas chamadas de loucas e menosprezadas, infelizmente. Há anos atrás o fato de alguém dizer que sofria de depressão era sinônimo de “passagem direta para o hospício”. Hoje sabemos que ela é a doença do século. Não são poucos os comentários em blogs e outros sites chamando a cantora de “velha louca”, “demente” e etc. Tais pessoas cremos, é que são de fato perturbadas mentais, por não reconhecerem que Boyle precisa muito mais de um acompanhamento médico e compreensão devido seu estado de saúde, do que comentários idiotas omitidos por mentes verdadeiramente “doentes”.
É aquela velha história de todos condenarem e criticarem por pura ignorância! Michael Jackson, era chamado dos mais lindos nomes. O mais delicado era “pedófilo”. Depois que morreu, no meio do ano passado, virou um santo com direito ao choro hipócrita de seu “amado” pai no enterro e tudo mais. A verdade é que suas obras em prol de milhares de pessoas carentes pelo mundo inteiro não foram apreciadas durante anos. Afinal, a iniciativa do “We Are The World” era dele, não? Só que agora já era! Como diria o ditado, “Inês é morta” e caridade não vende jornal.
Neste caso o que deveria fazer Susan Boyle em meio aos ataques? Afinal, foi chamada de feia antes de subir ao palco do Britains Got Talent e tratada mal por causa de sua aparência, participou anos a fio de concursos onde o que prevalecia era a aparência e sofreu na pele o preconceito, na infância era humilhada pelos colegas de escola e taxada de retardada, dedicou parte da vida a cuidar somente da mãe e isolou-se do mundo que só tem lugar para os belos e “inteligentes”, mesmo cantando desde os doze anos. Alguns diriam que ficar em casa chupando o dedo e vendo a vida passar seria uma “boa” alternativa para ela. Porém, Susan Boyle foi à luta e tornou-se uma celebridade mundial, com a ajuda do You Tube. O fato é que olhar os defeitos dos outros é muito mais fácil e “gostoso” (isso para mentes mórbidas) do que admirar suas qualidades! Susan cantou para a causa do Haiti, mas o que sobressai é que ela é “louca”. Susan deu um grande exemplo de persistência com seu sonho de ser cantora profissional, mostrando que a esperança jamais deve morrer mesmo que, literalmente, o mundo esteja contra nós e o reconhecimento é dizerem que ela não tem talento; Susan incentivou milhares de pessoas a levantarem a cabeça e não abandonarem algo em que acreditam ou seus objetivos, simplesmente por um não ou por opiniões contrárias e persiste, mesmo quando as pedras tornam-se maiores em sua direção. O maior problema de Lady Boyle não é o atraso mental, mas a língua ferina de pessoas maldosas que, com certeza, dariam a vida para estar em seu lugar e ter o vozeirão que ela tem!
Peço a todos que tomem o exemplo desta mulher como algo positivo em suas vidas e não caiam na ignorância de atacar uma senhora que sofreu a vida inteira até alcançar o sucesso. Quer um exemplo? Vamos lá! Segundo páginas na internet, Elaine Paige, a diva britânica de musicais do West End londrino, em que Susan espelhou-se a vida inteira a teria esnobado, afirmando que “Ela é uma garota sem nenhuma experiência em nada que tenha a ver com o teatro, a música e a arte em geral” e que ela é “um vírus que se espalhou pelo mundo em um nanosegundo". Também não entrarei na injusta exclusão de seu nome para a participação no Grammy e outras premiações! Até lá fora, como no Brasil, o que faz sucesso é peito, pinto e bunda!
Se isso for verdade, isto é postura para uma pessoa que elogiou Susan em programas de TV quando viu sua aparição pela internet e fez um dueto com ela durante o documentário especial sobre a vida da escocesa, em dezembro? Eu jamais poderia “descer o pau” em alguém depois de ter feito cara de bom moço com essa pessoa no palco e a ter elogiado. Será que haveria alguma pontinha de inveja? Bem, se Susan não tem tudo isso que ela disse, por que ela não se oferece para treiná-la? Melhor dar uma de Copélia do “Toma Lá da Cá” e emprestar dela o “prefiro não comentar”!
A cantora escocesa precisa é que seus empresários e produtores dêem mais atenção a seu estado de saúde e parem de pensar somente em lucrar com sua imagem, tratando de providenciarem um acompanhamento médico descente para que ela possa cumprir sua agenda, sem o risco de sofrer algum tipo de crise. Alias, prefiro as crises psicologias de Boyle, do que um punhado de gente “normal” destilando veneno. Afinal, se nem o maior homem que já pisou na terra, Jesus Cristo, agradou, não é uma simples senhora de quarenta e oito anos que vai satisfazer tantas más línguas.